“Antes, quando você visitava uma casa noturna, geralmente o DJ que tocava por lá era o único responsável por animar as pessoas por horas, tocando a noite toda”, o produtor musical Ronaldo Gasparian lembra desse tempo. Com mais de 20 anos de carreira, o paulista fala do tempo em que era comum conduzir pistas por seis, sete horas ininterruptas em casas como a Anzu, Kiss & Fly, Banana Café, Provocateur e Asia 70, para citar algumas.

Mas o universo da discotecagem mudou e Gasparian não deixou que o saudosismo diminuísse seu amor pela música. Junto com a profissão mergulhou no futuro e não demorou para vir o reconhecimento: Hoje seu nome é um dos mais consagrados da dance music no país. Não bastasse as festas em que deixa sua assinatura por meio do som que toca, criou projetos de sucesso, como as festas Clubinho e Playlist, em São Paulo e seus podcasts se mantém há mais de 6 anos no topo do iTunes Brasil!

Criativo musicalmente e, convenhamos, mestre em conduzir pistas, Gasparian compartilha algumas dicas para você executar seu long set com maestria!

8 dicas para montar um set que crie uma atmosfera única por várias horas:

01- Faça sua lição de casa! Arrume seu repertório. Um case bem organizado, com nomes de artistas e faixas tagueadas ajudam muito na hora de procurar e ter ideias na hora de fazer um set longo. Tente separar as músicas em pastas, por estilo, ano ou BPM. Softwares como Serato ou Traktor possibilitam a classificação das músicas por todas essas informações e muitas outras, incluindo o tom, para mixagens harmônicas.

02- Aprenda a conectar as músicas! Eventualmente em um set longo você vai precisar de mixar ritmos e estilos diferentes e tudo precisa fazer sentido. É como contar uma história. A sequência precisa respeitar uma estrutura. Na dúvida, se pergunte: essa sequência faz sentido? Lembre-se um DJ convida seu público a fazer uma viagem, junto com ele, um bom set busca essa sintonia.

03- Escute o público! Nenhum (bom) DJ leva um set pronto de casa. A gente tem uma ideia de como vai ser, mas na hora, tudo muda e temos que partir por um caminho não planejado. A discotecagem é uma arte que lê multidões. Confira se seu set está funcionando e, se não, parta para o plano B ou C. Seja flexível, criativo e abrangente na hora de se adaptar à resposta da sua pista.

04- Elimine o excesso de bagagem! Hoje, com as novas regras das companhias aéreas, carregar discos de vinil se tornou um ato quase jurássico. Apesar do lado romântico de ver os discos rodando hipnoticamente nos toca discos, é quase impossível carregar todo esse material em uma viagem ou até mesmo em cabines com espaço restrito. Portanto, deixe os discos em casa e se abra para o futuro!

05- Use a tecnologia a seu favor! Com os novos equipamentos, as técnicas de mixagem ficaram em segundo plano, hoje qualquer um pode apertar o botão de sincronia e fazer passagens na batida certa. Muitos DJs reclamaram, porque viram o seu “truque” mágico revelado. Saber mixar deixou de ser uma exclusividade. Em compensação, muitas outras técnicas surgiram, como o uso de loops, samples, sequencers e outros, que usadas com criatividade, tornam o set único. Além disso, ainda não existe uma máquina capaz de criar um playlist que funcione tão bem quanto um bom DJ lendo a pista.

06- Pergunte aos mestres! Muito do que eu aprendi na profissão veio de observar o trabalho de outros DJs. Uma coisa simples como ficar ao lado da cabine pode te dar informações valiosas. Se tiver esse acesso, aproveite para fazer perguntas. Não se acanhe e vá colher conhecimento de quem você admira nas pistas.

07- Escolha seu público com o mesmo afinco que escolhe seu repertório! Se você gosta de samba, naturalmente acaba frequentando locais que tocam samba ou outros estilos musicais. As pessoas, na hora de se divertir, acabam se unindo por afinidades musicais. Evite abraçar o mundo e escolha um segmento para trabalhar e, claro, que seja um que te agrade! Querer abraçar o mundo e tocar de tudo acaba não agradando ninguém direito.

08- Divirta-se (pero no mucho)! Nos meus mais de 20 anos de carreira, a única característica em comum a todas as noites que já toquei é que eu sempre me divirto e certamente, quem está na minha pista percebe isso e acaba se divertindo junto. Energia é contagiosa, mas é ideal evitar os excessos. Beber algo para relaxar e ajudar na criatividade é até saudável, mas ficar totalmente bêbado ou se jogar nas drogas não vai te levar muito longe na carreira (nem na vida).