Mauro Borges, DJ ícone da cena clubber/gay paulistana, morreu na manhã desta sexta-feira (31/08), aos 56 anos, disse a casa noturna Bubu Lounge Disco em sua página no Facebook. O músico era residente de uma das festas do lugar. A causa da morte não foi divulgada

Borges foi um dos responsáveis pela criação do projeto Que Fim Levou Robin?, considerado o primeiro grupo de dance music brasileiro.

A banda, que misturava a batida eletrônica com letras divertidas, estourou nos anos 90 e levou o gênero a programas de TV com músicas como “Tia” e a que dá nome à banda.

Em mais de 30 anos de carreira, o DJ também se tornou nome importante da cultura LGBT em São Paulo. Ele comandou festas famosas nas boates Nation e Massivo, das quais foi sócio.

Seu repertório, sempre com toques de humor, costumava incluir hits de artistas como Madonna e Kylie Minogue. O DJ, que costumava se apresentar sem camisa, chegou a ser capa da revista G Magazine em 1998.

Questionada sobre a infância de Borges em Campinas, a amiga Bebete Indarte disse: “Ele odiava falar da vida privada. Era uma pessoa reservada. Éramos como irmãos, convivíamos com as nossas luzes e também sombras. Estranho que uma parte da minha história teve esse fim trágico com a partida dele, coisas da vida, morrer”. Ela também foi fundadora do Que Fim Levou Robin?.

O corpo de Borges será enterrado em Campinas. Ele deixa muitos amigos e fãs.